Cláudia Garcia é uma jornalista de 33 anos baseada em Itália, muito ativa nas redes sociais e enquanto profissional no mundo do desporto, onde compete com modelos e showgirls para se destacar no pequeno ecrã.

Cláudia contribui para vários jornais desportivos, incluindo com artigos de opinião para o jornal O Jogo, e para o italiano “Tuttosport.” Além disso, trabalha com a estação de televisão local Raisport e Rai2.

É também uma das mais sensuais jornalistas que conhecemos, tanto que compete com modelos no mundo do jornalismo desportivo em Itália, onde afirma que muitas vezes é preferível trabalhar de minissaia e top.

A jornalista faz trabalho de assessoria

Algo que é menos conhecido sobre a jornalista é que também faz trabalho de assessoria para jogadores de futebol, como a própria descreve na sua página de Facebook. Isto faz com que, para alguns, tenha alguns conflitos de interesse.

Em artigos de opinião publicados no jornal O Jogo, por exemplo, afirmou que o “Florentino é ideal para o Milan,” tendo no inicio deste ano também sido a fonte para um exclusivo afirmando que Trincão ia para o Barcelona.

Ambos os jogadores são representados pela agência Team of Future, que trabalha com a agência de comunicação EmpowerSports. Nas redes sociais, Cláudia Garcia já mostrou amizade para com este agência de comunicação, o que poderia ser conflito de interesse aos olhos de alguns fãs do desporto.

Cláudia Garcia compete com modelos

Cláudia Garcia conseguiu conquistar um lugar na área de desporto na televisão italiana, em parte, pela sua beleza. Segundo a mesma, há uma ideia de que para tralhar na área lá, as mulheres têm de ser bonitas para atrair espetadores.

O assunto tem sido discutido desde que, em 2017, um grande plano dos seios de uma adepta benfiquista foi mostrado durante um jogo. Em declarações ao Jornal I, Cláudia Lopes afirma que há “uma exploração do corpo da mulher em termos comerciais.”

Cláudia consentiu que há jornalistas a serem escolhidas por terem mamas grandes ou um bom rabo, para apresentarem programas desportivos. Para a jornalista, há a lógica de que a mulher está na televisão “como alguém bonito que só está a ler as redes sociais.”

Afirmou ainda que se uma mulher não é bonita, dificilmente se enquadra no mundo do jornalismo desportivo. Acrescentou:  

“Algumas querem ser modelos e têm muitos seguidores nas redes sociais. A lógica é atrair esses seguidores para os programas.”

Para ela, existem por exemplo poucas mulheres a debater assuntos desportivos porque aí a beleza não ressalta. Cláudia Garcia acrescentou que muitas recorrem a operações plásticas para conseguirem mais audiências.

A lógica, ao que parece, é que mostrar as mamas e o rabo em direto em vestidos apertados acaba por beneficiar as jornalistas e os canais onde estão. A jornalista e assessora foi ainda correspondente da Globo entre 2013 e 2016, e afirma que no Brasil as coisas são diferentes.

Lá, entrou pelo mercado de transferências e ganhou muitos contactos. Afirma que o que se prefere no Brasil são jornalistas com camisa masculina, enquanto que em Itália “é para ir de top e minissaia.” Assim, compete com modelos e showgirls na sua área.

Algumas destas modelos, diz, entram pelo jornalismo desportivo com o objevtio de se tornarem apresentadoras de televisão.

As fotos mais sensuais de Cláudia Garcia

Para conseguir competir com modelos, Cláudia Garcia tem também o aspeto de uma. As suas curvas não passam despercebidas pelas redes sociais, onde tem milhares de seguidores que comentam o quão sexy a jornalista consegue ser enquanto mantém a postura profissional.

Na galeria abaixo pode ver as fotografias mais sensuais da jornalista portuguesa que consegue competir com as mulheres mais bonitas de Itália.


(Carregue para aumentar)





Autor: author admin

Tiago Palha é um redator apaixonado por tudo o que tem a ver com o mundo das celebridades, tecnologia gastronomia, e muito mais. Siga-o nas redes sociais: Facebook | Twitter

0 comments:

Publicar um comentário